© 2023 por Fazendo Barulho. Orgulhosamente criado com Wix.com

  • Facebook Clean Grey
  • Instagram Clean Grey
  • Twitter Clean Grey
  • YouTube Clean Grey

E foi dada a largada

23.07.2015

 

Sinceramente, eu não sei se eu rio porque eu corro ou se eu corro porque rio.  Essas relações de causa e efeito sempre me deixaram confusa. Acho que alguns passos em uma velocidade razoável, a ponto de me fazer suar, me trazem tantos motivos pra dar risada quanto se alguém estivesse fazendo cosquinha nos meus pés. E, não, nem pense em encostar neles.

A endorfina liberada a cada quilômetro percorrido faz a minha cabeça ferver e, dia após dia, reparar em alguma coisa diferente desse universo das corridas, que tem mais detalhes e linhas tortas do que a sola do meu tênis (quando estava novo).

Esteiras, ruas, pistas, parques, trilhas, praias e tantos outros locais (a estranhice pode começar na escolha do local, aliás) são palco de cenas bizarras e manias mais estranhas ainda enquanto literalmente corremos atrás de superar nossos limites.

Acredito que dá pra levar a corrida a sério sem levá-la tão a sério. Por isso, resolvi compartilhar alguns dos detalhes que percebi e venho percebendo ao longo dessa minha jornada maluca de corredora, com a intenção de mostrar o lado divertido de colocar um tênis e sair esbaforida por esse mundo afora. Se eu arrancar um esboço de sorriso de alguém no caminho... pronto, missão cumprida.

Eu vou... Correndo? Rindo? Correndo e rindo? Corrindo!

E aí, me acompanha nessa?

 

 

Please reload

Modalidades