© 2023 por Fazendo Barulho. Orgulhosamente criado com Wix.com

  • Facebook Clean Grey
  • Instagram Clean Grey
  • Twitter Clean Grey
  • YouTube Clean Grey

Maratona Internacional de São Paulo - parte I

29.04.2016

Na última manhã quente de domingo aconteceu a 22ª Maratona Internacional de São Paulo, em que 17 mil corredores participaram nas modalidades de 2, 5 e 15 milhas ou a tão sonhada maratona. Ainda não foi dessa vez que eu participei desta prova e nem corri uma maratona (ainda), mas ela foi pura emoção pra mim. Tive o prazer de acompanhar, mesmo à distância, a garra e força de quatro amigas (bravas!) estreantes nos 42km e lhes apresento as mais novas MARATONISTAS do pedaço: Su, Hiu, Paulinha e Gi! 

Com o intuito de ajudar futuros maratonistas (eu inclusive), contar como foi a prova e compartilhar isso com vocês, resolvi incorporar a Marília Gabriela (talvez esteja mais pra Luciana Gimenez, rs) e entrevistei as meninas! =) Com vocês... parte do Pelotão de Elite maratonista do grupo Somos Bravas!

 

Su (Susana Harumi)

 

Vou Corrindo: Há quanto tempo você corre?

Su: Comecei a correr mesmo, meus primeiros metros em julho de 2014. A primeira prova de 5 km foi em outubro (detalhe que foi a primeira vez que corri sem caminhar)... A partir daí peguei o gosto e não parei mais, só visando aumentar a distância. 

 

Vou Corrindo: Quando você decidiu correr uma maratona?

Su: Fiz algumas provas de 10km em 2015, mas não treinava com assiduidade. Não tinha companhia para correr na rua, então fazia apenas aulas de spinning e aeróbica na academia. Talvez isso tenha me ajudado a ganhar resistência cardio respiratória, tanto que conseguia correr 10km sem parar, nas provas. Em julho de 2015 entrei para o grupo do Facebook, Amantes das Corridas e postei uma dúvida (se eu conseguiria fazer uma prova de 21k treinando a partir dali). Para minha surpresa muitas pessoas me incentivaram, e a primeira pessoa foi a Gisele Delgado. Fiquei animada pra começar a treinar e ofereci montar um grupo no WhatsApp, para trocar ideias sobre treinos. Outras meninas foram pedindo para serem adicionadas;  algumas eu convidei por perceber o interesse nos treinos. Aconteceram muitas trocas de experiências legais, fiz a minha primeira meia maratona em outubro de 2015, na semana seguinte fiz mais uma meia. A partir daí quis a maratona.

 

Vou Corrindo: Como foi sua preparação?
Su: Em novembro comecei os treinos, seguindo uma planilha de uma pessoa q se ofereceu para ajudar, porém mal eu sabia que ela não era capacitada para orientar nos treinos. Em janeiro tive uma lesão por forçar demais. Eu seguia a planilha à risca e mesmo com dor sempre queria terminar o treino. Foram então 20 dias afastada das corridas, 10 sessões de fisioterapia e medicação. Fui voltando devagar e com cautela, até que por conta própria e sem planilha, fui fazendo meus longões para a maratona. 

 

Vou Corrindo: Foi fácil encaixar a rotina de treinos no seu dia a dia?

Su: Continuei com a minha periodicidade de treinos, porém de terça comecei a treinar tiros e quinta subidas. Ao sábados fazia os longos com as Bravas (nosso grupo). Para mim não alterou muita coisa, pois eu já treinava de manhã durante a semana antes. 

 

Vou Corrindo: O que achou da prova em geral? (Kit? Estrutura? Pontos de apoio? Percurso?)
Su: Achei o kit bom, camiseta de ótima qualidade, muito bonita. Além de brindes como café, água de coco e algumas amostras. A estrutura também foi ótima, montaram arquibancada para a platéia. Ônibus serviram de guarda volumes para os atletas que correriam 5 e 10 milhas. Para os 42k, guarda volumes convencionais nas tendas. Tinha razoável número de banheiros químicos. A largada estava dividida por setores, porém não havia impedimento para entrar em qualquer setor que quisesse, exceto para a caminhada. Como era de se esperar, os primeiros quilômetros foram difíceis de correr sem esbarrar no outro. Os pontos de apoio foram ótimos, tinha muita água, pontos com água de coco e isotônico devidamente sinalizados com faixas...no km 28, ofereceram batatas bolinha cozidas com sal. O percurso foi difícil, mais por causa do calor; já esperava algumas subidas, porém imaginei pior. Meu maior medo era que faltasse água ou banheiros no meio do percurso , o que não ocorreu. Motos de pronto atendimento médico foram acompanhando durante todo o percurso.

 

Vou Corrindo: O que foi mais importante pra você durante a prova?
Su: A maior dificuldade foi o calor, durante todo o percurso fui molhando a nuca, cabeça e pulsos para refrescar. Isso ajudou muito, pois não cheguei a parar por conta do calor. As amigas do #somosbravas ficaram de staff no km 32, 36 e 39. Isso deu um novo ânimo cada vez que avistava as meninas "de rosa", nos apoiando e incentivando, além de nós levar água gelada, isotônico, frutas e até coca-cola. 

 

Vou Corrindo: Qual a maior dificuldade?

Su: Fui firme depois dos 30 km, coloquei na cabeça que o "muro" era lenda. Porém comecei a presenciar cenas de desânimo, muitas pessoas caminhando, tirando o tênis, mancando por conta das cãibras, chorando sentadas por terem desistido. Isso abala psicologicamente, mas eu estava firme, não sentia dores, então não havia porque achar que eu não conseguiria. Assim fui correndo quilômetro a quilômetro, no 32 quando a Bete se juntou a mim para correr os últimos 10k, me animei mais porque ela o tempo todo me incentivava e me oferecia água geladinha. Isso fez a diferença!  E nos kms 36 e 39, com a Juliana, Taime e Andrea e Queila no staff, outra enxurrada de ânimo, elas nos deram abraços e incentivos, mais água gelada e coca-cola para terminar a tão sonhada maratona.

 

Vou Corrindo: Houve algum momento engraçado?
Su: Quando terminei de subir o km 38, no túnel, subida difícil àquela altura,  um corredor gritou meu nome e disse: "sua mãe mandou você ficar em casa hoje e você desobedeceu, não é?" Eu olhei para trás e gritei: "Sim, porque sou uma Bravaaa"!!

 

Vou Corrindo: Como foi terminar a prova?
Su:
Terminei bem a prova, sem dores, e fiquei feliz porque comecei a prova com esse pensamento: terminar inteira! Pisei a linha de chegada com uma mistura de alegria e alívio por ter conseguido e ter dado tudo certo como planejei.

 

Vou Corrindo: Alguma dica para quem vai correr sua primeira maratona?
Su: Além de treinar sério, não faça nada fora do que treinou na prova. Não beba nem coma alimentos que não experimentou nos treinos, até a vestimenta e acessórios fazem diferença. Faça tudo igual que dá certo!


Vou Corrindo: Já está planejando a próxima?

Su: Mal terminei a prova e já estava pensando na próxima:  dia 31 de julho pretendo correr a Asics. Mas também já pensando na maratona do ano que vem, que com certeza experimentarem outro percurso, no RJ, Porto Alegre ou quem sabe, Argentina.

 

 

Hiu (Hiuna Matyelka)

 

 

Vou Corrindo: Há quanto tempo você corre?

Hiu: Eu comecei a correr em Julho de 2014, alterava caminhadas com a corrida porque estava acima do peso mas mesmo assim me arrisquei a participar de uma prova em Agosto (câncer de mama 5km). Completei a prova em 33:45min, uma vitória pra mim na época. Mas depois disso não corri mais, não tinha incentivo acabei deixando de lado. No final de Janeiro de 2015, resolvi que voltaria a praticar alguma atividade física e investi na corrida. Para me sentir motivada, me inscrevi  na meia maratona de Campinas que aconteceria no dia 22 de Março. As distâncias eram 21km e 10km (fui de 10, claro!). Treinei nesse tempo de aproximadamente 1 mês e consegui concluir a prova em 1:03h. Fiquei muito feliz comigo mesma. Depois disso comecei a me inscrever em provas (pelo menos uma por mês) pra não perder a motivação. Assim pulei dos 10 para os 15, 18 e 21 (que foi a W21 da Asics).

 

Vou Corrindo: Quando você decidiu correr uma maratona?
Hiu:
Decidi que correria a Maratona quando estava assistindo ao Antena Paulista num domingo e com a cobertura da Maratona. Sentei no sofá, fiquei encantada, e disse para o Sidney: "Anota aí, ano que vem eu vou fazer essa Maratona." Ele me olhou e disse meio debochando "Ah, claro que vai...". Bom, meu irmão que já é maratonista experiente acreditou no que eu disse e falou: "treina que você consegue". Assim então decidi que iria correr uma Maratona.

 

Vou Corrindo: Como foi sua preparação?

Hiu: Minha preparação foi dentro do que eu podia fazer usei  uma planilha da Nike os treinos seriam de 12 semanas, junto com as dicas que meu irmão dava. Nem sempre conseguia encaixar os treinos na minha rotina porque a Sofia (minha filha) não ia pra escolinha, então  dependia da boa vontade do Sidney em chegar mais cedo pra ficar com ela é assim eu poder treinar ou de manhã ou a noite. Depois em Março quando ela foi pra escola consegui seguir a planilha corretamente.Mas já tinha perdido um pouco de tempo. 

 

Vou Corrindo: O que achou da prova em geral?
Hiu: Achei o kit bacana, camiseta bonita e fresquinha, veio uma toalhinha e algumas comidas. Paguei  R$125,00, em outubro. A estrutura estava muito boa, tanto na retirada do kit quanto na prova, vários banheiros. Água a cada 2 ou 3km, nem sempre estava gelada, mas tivemos sorte de conseguir pegar geladinha em alguns pontos. No km 12 tinha água de coco, como anunciado estava quente mais tinha. Achei muito bacana, no km 37 tinha voluntários oferecendo laranja cortada em 4, oferecendo água e coca. Nem todos ali tinham acessórios ou staff, achei linda essa iniciativa.

 

Vou Corrindo: O que foi mais importante pra você durante a prova?

Hiu: Pra mim, o mais importante durante a prova foi não perder a fé e ter a amiga Su perto de mim. Minha dificuldade foi o calor, estava muito quente. Fisicamente eu não senti dor nenhuma durante a prova, mas estava acabada com o sol forte no km 20 cheguei a pensar em desistir da prova. Parecia que eu ia cair, mas como disse, a Su foi muito companheira, me pegou pela mão e por várias vezes fez isso pra eu não parar, principalmente quando passamos pela chegada das 15 milhas. Ali é  bom  nem olhar muito se não a gente para junto.

 

Vou Corrindo: Algum momento engraçado?

Hiu: Dei risada quando vi a Gi e a Paulinha na maior animação dançando enquanto cruzávamos pela USP. Isso me fez rir e esquecer um pouco que estava sofrendo com o calor.

 

Vou Corrindo: Qual a maior dificuldade?

Hiu: Comecei a ver muita gente parando, sentando, caminhando passando mal caindo de repente na minha frente. Isso me deixou um pouco assustada, mas tinha ambulância nessa reta final (aliás várias correndo  pra lá  e pra cá). 

 

Vou Corrindo: Como foi terminar a prova?
Hiu: A sensação é indescritível de passar pelo pórtico depois de correr os 42km. Uma conquista pessoal muito grande! A sensação que tenho é  que sou imbatível que aguento qualquer coisa que vier, seja na corrida ou na vida.

 

Vou Corrindo: Alguma dica para os futuros maratonistas?

Hiu: Tenha amor nos treinos, faça se realmente achar que está preparado, porque os treinos cansam e a ansiedade mata a gente do coração rs. A vida social no período dos treinos fica um pouco comprometida. Essa prova merece todo respeito, não é pra qualquer um, não dá pra fazer sem treinos.

 

Vou Corrindo: Já está planejando a próxima?

Hiu: Já  tem até data marcada: 31/07 - Golden Four Asics! Enquanto eu corria,  fiquei pensando: "não vou fazer a Golden nem a pau... vou mudar pra 21km." Mas na segunda de manhã já estava decidida: "Que venham os 42km!"

 

A festa que essas meninas fizeram foi de dar inveja! Teve até champagne!!! Olha só algumas fotos da comemoração:

 

  

 

Muito orgulho dessas bravas queridas! Parabéns meninas, por todo esforço, dedicação e garra que vocês tiveram! Às Bravas do Staff também meus parabéns pelo espírito de equipe lindo que vocês demonstraram. Momentos assim marcam a vida das pessoas =) E eu senti por não estar junto.

 

Ficou com um gostinho de quero mais, né? Aguarde porque em breve eu vou apresentar as outras duas maratonistas do #SomosBravas: a Paulinha e a Gi!

 

Você participou da prova ou tem alguma dúvida? Pergunte nos comentários ;)

Please reload

Modalidades