© 2023 por Fazendo Barulho. Orgulhosamente criado com Wix.com

  • Facebook Clean Grey
  • Instagram Clean Grey
  • Twitter Clean Grey
  • YouTube Clean Grey

Cardiologista e correr: tudo a ver

25.08.2016

Corredores dessa internet maravilhosa, exames cardiológicos podem parecer coisa de gente hipocondríaca, pessoas mais velhas ou necessários só para atletas profissionais... mas não são! Quem nunca se assustou com notícias de pessoas que tiveram ataques cardíacos durante uma prova? Eu já, várias vezes. Pessoas novas, sem histórico de doenças cardíacas na família, com alguma complicação cardíaca não diagnosticada até então ou mesmo sem nenhum sintoma de pressão alta, no momento em que expõem seu corpo a condições extremas de esforço, podem desencadear reações mais que indesejáveis. Praticamos exercícios para sermos mais saudáveis, e não o contrário, correto? Por isso, o melhor é prevenir.

Eu pensei em marcar uma consulta em um cardiologista por muito tempo, mas confesso que só marquei mesmo quando meu coach da assessoria pediu que eu fizesse alguns exames antes de começar a treinar com ele. Esse tipo de coisa a gente sempre posterga, né? Então lá fui eu, agendei minha primeira consulta com o médico Hsu Jen (eu mal sabia pronunciar o nome na primeira vez! hahaha!) do HCor aqui em São Paulo, no chute, sem recomendação, sem nada, porque era o que tinha horário disponível quando eu tinha horário disponível. Dei sorte =D A consulta inicial foi para ele conhecer meus anseios e solicitar os exames. Comentei que corria e achava importante ver se estava tudo certo com o meu coração, ele falou que conhecia pessoas que tinham ido correr as provas da Disney e, falando do que interessa, ele me solicitou:

 

- Exame de sangue (não tinha feito nenhum neste ano): Hemograma completo, vitamina D, uréia, creatinina, ácido úrico, colesterol, triglicérides e tudo mais que podia ser solicitado;

- Ecocardiograma: para analisar os diâmetros e espessuras do átrio, miocárdio e pericárdio e identificar se está tudo ok;

- Raio X do tórax: para verificar alguma possível anomalia, inchaço do coração e como está posicionado em relação ao pulmão, costelas, diafragma...

- Teste ergométrico: para analisar como meu corpo reage sob esforço físico (pressão arterial, freqüência cardíaca, possíveis arritmias e aptidão cardiorrespiratória).

 

Realizei todos os exames cardíacos no HCor (viva o plano de saúdeee! haha!) e o de sangue no Laboratório Cura. Salvo algumas horinhas de espera no HCor, super recomendo! No meu caso, optei por realizar lá pela facilidade dos resultados já serem encaminhados diretamente ao médico.

O legal é todos os exames cardíacos são agendados no mesmo dia, um seguido do outro. Se eu não me engano, o primeiro deles foi o ecocardiograma, em que o médico passa um sensor no peito com um gel gelado para captar as imagens. Se eu puder recomendar... NÃO FAÇA ESSE EXAME no inverno!!!! Eu fiz em julho e sofri! hahaha! Depois fiz o raio x do torax, que é só ficar em pé na frente da máquina do raio x em uma sala escura e, por último, o teste ergométrico.

Teste ergométrico 

 

Nessa hora, quem corre pensa: "HÁAA, vai ser fichinha, eu corro 5km em meia hora, até parece que 10min de exame vão me cansar". Pois meu amigo, sinto-lhe informar, mas cansa sim! Até porque o objetivo do exame é te levar à exaustão. São colados uns mil e quatrocentos (mentira, devem ser uns 12) sensores no seu corpo, com uns fios, você põe um medidor de frequência cardíaca no braço e sobe na esteira. Já não sou das maiores fãs de esteira, imagina com esse tanto de aparatos o quanto eu tava feliz. Mas beleza, é para um bem maior.

Comecei a correr levemente, e a médica ia aumentando tanto a velocidade quanto a inclinação da esteira. Meu exame durou 11 minutos, com a velocidade de 6 milhas/hora e inclinação de 15 graus, até que eu falei que não aguentava mais e pedi pra sair #tropadeelitefeelings. Saí da esteira frustrada mas a moça disse que eu fui bem, haha.

 

A consulta para análise dos resultados foi ótima. Estou mais que apta a realizar atividades físicas sem preocupação, meu coração tá batendo firme e forte e apaixonado (isso não tava nos exames hahaha!), mas (sempre tem um mas...) meu exame de sangue mostrou que eu estava com anemia branda. O cardio me receitou suplementação de ferro e comentou que repor os níveis de ferro era importante para o meu desempenho na corrida porque é o ferro que transporta o oxigênio no sangue (lembra daqueeeela aula de biologia da 6ª série? então!). Já estou tratando disso! 

 

Quis compartilhar com vocês um pouquinho do que foi essa experiência médica, porque apesar de ainda ser um tanto leiga no assunto, sei da importância da realização dos exames. Não custa a gente verificar se tá tudo certo né? Quer dizer, eu sei que custa. E muitas pessoas podem não ter plano de saúde para fazer os exames, por isso, segue uma dica de opção mais barata para quem queira realizar o teste ergométrico:

Policlínica da Universidade Metodista de São Paulo, que oferece os testes às quartas-feiras a partir das 15h mediante agendamento pelo tel (11) 4366-5565.

 

Caso queiram saber mais sobre o assunto, as Sociedades Brasileira de Cardiologia e da Brasileira de Medicina do Esporte publicaram a Diretriz em Cardiologia do Esporte e do Exercício e tem uma seção todinha só do que é recomendado para pessoas esportistas, praticantes de atividades físicas amadores, tipo eu e você! Hahah! O link para acessar está aqui!

 

E aí, já marcou seus exames? Depois me conta como foi!

 

 

Please reload

Modalidades