© 2023 por Fazendo Barulho. Orgulhosamente criado com Wix.com

  • Facebook Clean Grey
  • Instagram Clean Grey
  • Twitter Clean Grey
  • YouTube Clean Grey

Corrida e Caminhada pela Inclusão Olga Kos 2017

27.03.2017

Domingo retrasado, dia 19 de março, foi dia de correr por uma causa. Pelo 3º ano consecutivo o Instituto Olga Kos realizou a Corrida e Caminhada pela Inclusão e nós participamos pela segunda vez! Digo nós porque não fui sozinha... trouxe minha família toda comigo! A data é sempre cuidadosamente escolhida em razão de uma celebração internacional: o Dia Internacional da Síndrome de Down, comemorado no dia 21 de março. Para quem não conhece, as pessoas com síndrome de down têm um cromossomo a mais no par 21, a trissomia do 21, e por isso 21/03. Sinceramente, um dia só pra celebrar a alegria tooooda que pessoas como a minha irmã trazem para a nossa vida é pouco. Muito pouco.

A corrida começou logo na hora da inscrição, visto que foi suuuper barata (R$ 26,50!), as vagas acabavam super rápido. Não conseguimos pegar primeiro lote, no segundo só eu e o Diogo (meu namorado) e a Mari minha amiga nos inscrevemos, mas no terceiro abriu a porteira!!! A intenção era inscrever a família inteira nem que fosse para todos estarmos uniformizados no dia da prova. No fim, meu irmão não conseguiu se inscrever e ficamos com 4 inscrições para os 5 da casa. Tudo bem =)

O Diogo retirou nossos kits, que pelo preço foi um arraso assim como no ano passado! Camiseta de boa qualidade (adorei a cor!!!), número de peito, uma toalhinha e squeeze! Precisa de mais alguma coisa? Pra mim já tá ótimo! =D

Meus pais e minha irmã moram em Pouso Alegre, a capital do sul de Minas Gerais, e meu irmão em São Bernardo e no sábado antes da corrida todo mundo se reuniu em casa! Meus pais foram resolver algumas coisas e eu resolvi levar minha irmã na academia! Hahah gente, ela se divertiu horrores. Abraçou o instrutor, queria fazer os exercícios, mas claro que eu tomei todo o cuidado do mundo para ela não se machucar. Voltamos pra casa e ela já quis colocar a camiseta da corrida!

 

Eu já imaginava que ela fosse ficar super feliz só por ter o kit, mas não imaginava quanto. A Bia sempre incentivou a família toda a correr, e torce por nós quando nos acompanha em alguma prova, mas ela mesma nunca tinha vivido esse momento a sério. Então imagine a animação! =) Foi até fácil acordar no domingo às 5 horas da manhã (mentira, não foi não! hahaa)

Fomos todos ao Pacaembu e lá já começamos a alongar, tirar fotos e nos preparar para os 10km que vinham pela frente. Minha mami foi o nosso Staff e ficaria com a Bia até oo final da prova enquanto eu, meu pai, meu irmão e o Diogo íamos correr. Mas QUEM DISSE que a Bia deixava a gente ir pra largada sem ela? Eu tentava explicar que a corrida era longa e nos encontraríamos no fim, mas ela não aceitava. Até que meu pai sugeriu: "e se largarmos com ela? Depois eu volto com ela se ela se cansar!"

E foi a melhor coisa que fizemos. A Bia largou conosco e eu quase chorei ao olhar pra ela correndo nodo meu lado na maior animação de todas incontáveis vezes. Fomos todos juntos até por volta do 1,5km, andando, trotando, brincando de pega-pega (era um jeito dela correr atrás de mim), posando para as fotos e dando muuuita risada! Assim que ela se cansou, meu pai voltou com ela e eles ficaram quase em primeiro lugar na prova hahahahah! Sorry organização, não queríamos causar nenhum transtorno!!!!

Por mais que tenha sido pouco, tenho certeza que esse dia foi inesquecível pra ela assim como foi pra mim. E mais uma vez a Bia nos deu uma lição. Por quê eu achava que ela não podia correr com a gente? Porque ela se cansa rápido, não tinha treinado, e tantos outros motivos. Mas por quê não fazer tudo de um jeito mais leve? E quem disse que ela não pode correr? Fizemos nosso início de corrida sem a menor preocupação com o pace, tempo, se éramos os últimos ou não... Estávamos nos divertindo, uns com os outros, e só isso importava. Não tinha treino? Não tem problema! Andamos, corremos um pouquinho, e isso serviu de sementinha para que ela comece a fazer mais exercícios e treine para correr com a gente de novo em alguma prova no futuro. (Meu pai tá levando esse plano bem a sério!! rs)

Eu me vi colocando limites à Bia, para protegê-la e por alguma insegurança, mas mais uma vez ela me provou que não há motivos para  fazer isso. Pessoas com síndrome de down são capazes de fazer tudo o que fazemos. Que seja de um jeito diferente, talvez demore um pouco mais, mas com certeza transbordando alegria! Cada vez mais vejo notícias de pessoas que se formam na faculdade, se casam, trabalham e CORREM! =) Já parou pra pensar nisso? Quem impõe os limites somos nós e precisamos parar de fazer isso. A Bia acreditava que podia correr com a gente e nos provou que podia! Vamos todos acreditar também, e dar todo apoio necessário para que os limites sejam superados SEMPRE!

 

Quer sentir um pouquinho a emoção desse dia? Assista ao vídeo! =D

 

 

Please reload

Modalidades