© 2023 por Fazendo Barulho. Orgulhosamente criado com Wix.com

  • Facebook Clean Grey
  • Instagram Clean Grey
  • Twitter Clean Grey
  • YouTube Clean Grey

Correndo com endometriose

08.05.2017

Dá pra correr e a corrida ajuda a endometriose! Quer saber como?

Eu sofria com cólicas muito fortes desde que fiquei menstruada pela primeira vez. Algumas vezes, cheguei até a quase desmaiar de dor. Pode ser que pessoas que nunca sentiram isso achem que é exagero, mas não, é sem dúvidas a pior dor que eu já senti até hoje. Você tem que deitar, rolar, se contorcer até achar uma posição menos desconfortável, tomar remédio e rezar para a dor passar. Não é fácil. 

Por falta de conhecimento sobre o assunto ou achar que a cólica era "normal", nunca imaginei que pudesse ser algo mais sério. Até que em 2012, em um dia no caminho do trabalho, eu passei mal. Cheguei no escritório e nem consegui subir ao meu andar. Parei no café, minha pressão caiu, a equipe dos bombeiros do prédio foi acionada, colocaram um cobertor no chão, deitei, rolei, me levaram para o hospital. Pensa numa situação constrangedora. Por sorte, fui atendida por um ginecologista especialista em endometriose e a primeira coisa que ele suspeitou era de que eu tinha essa doença.

Para quem não conhece, a endometriose decorre da presença do endométrio (tecido que reveste o interior do útero) fora da cavidade uterina, em outros órgãos como trompas, ovários, intestinos e bexiga. Se manifesta principalmente pela cólica menstrual intensa, dor pélvica ou abdominal durante relação sexual ou dor perto do intestino na época das menstruações (pra piorar, pode ser uma mistura de todos desses sintomas juntos =(((( ).

Realizei os exames necessários e o resultado não foi muito conclusivo. Até hoje não sei com certeza se tenho ou não endometriose. Porém, desde então venho me tratando como se tivesse, até porque o tratamento é bem simples: tomar a pílula anticoncepcional direto. Desde o início de 2013 tomo a cartela de 28 dias sem pausas. Há quem prefira ficar sem o anticoncepcional pela dose hormonal, inchaço, e etc, porém pra mim foi a melhor solução possível. Não tive mais cólicas e não fiquei mais menstruada (coisa que eu já odiava hahaha).

E onde entra a corrida nessa história toda? Primeiro, era SUPER desconfortável correr nos dias que antecediam à menstruação, isso quando eu nem conseguia ir treinar por causa das cólicas. Mulheres normalmente sofrem com isso, né meninas? Agora não sofro mais com as dores (thanks God!) mas ainda assim, conversando com meu médico sobre a minha rotina na última consulta, disse que estava correndo regularmente e ele comentou que os exercícios ajudam a diminuir os efeitos da endometriose! Então resolvi procurar saber mais a respeito para compartilhar aqui com vocês! ;)

Os exercícios, em geral, diminuem a probabilidade das mulheres desenvolverem endometriose, que pode ser em decorrência da diminuição da produção de estrogênio no organismo. Além disso, exercícios também aumentam a circulação sanguínea e liberam endorfina, agindo como um analgésico no nosso corpo. O Center for Young Women's Health no Boston Children's Hospital sugere que estes benefícios ajudam na melhora dos sintomas da endometriose diminuindo a dor. O exercício não age diretamente sobre a endometriose mas muda como o corpo responde à doença e ajuda no tratamento mental ;).

O site Saúde, da Abril, publicou de forma bem clara como o exercício aeróbico age no corpo da mulher com endometriose:

1. A atividade aeróbica estimula a hipófise, glândula situada no cérebro, que passa a secretar uma substância chamada endorfina. Ela, por sua vez, inibe a secreção do hormônio FSH.

2. O FSH estimularia a produção de estrogênio nos ovários. Então, menos FSH significa doses menores em circulação do hormônio que serve de combustível para o endométrio se desenvolver. O crescimento do tecido instruso é desacelerado. Muitas vezes, observa-se até mesmo sua regressão

3. No sangue, a endorfina neutraliza a adrenalina e o cortisol, substâncias liberadas pelo estresse. E, assim, sem a influência negativa dessa dupla, as células de defesa passam a atuar com maior eficiência no combate ao endométrio invasor.

Se ajuda diretamente ou indiretamente, não importa! O que importa é que a corrida traz benefícios e ainda ajuda a diminuir esses sintomas tão desagradáveis. E a dica, quando falo de saúde aqui no blog é sempre a mesma: se você sente que alguma coisa está errada, procure um médico! Sentir dor nunca é normal. Bora se tratar para continuar correndo por muito e muito tempo! =)

 

+ Para saber mais:

http://womensrunning.competitor.com/2016/03/health-wellness/ease-endometriosis-pain_56943#G1Ai2hRqudvf2VQy.97 

http://www.livestrong.com/article/415423-exercise-endometriosis/

http://saude.abril.com.br/fitness/bote-a-endometriose-pra-correr/

http://www.suacorrida.com.br/corpo-de-mulher/corrida-contra-a-endometriose-2/

 

 

Please reload

Modalidades