A corrida e eu: como tudo começou, por Adriana Fendt

Conheçam a história de como a Adriana, do @42com42, começou a correr e evoluiu até os 42km!

“Final de 2013, trabalhando demais, tinha deixado de fazer atividades físicas. Nessa época, ainda não sabia que essa era uma importante válvula de escape. Como numa panela de pressão, com o tempo, ela aumentou e as paredes de ferro não aguentaram. A explosão foi bem forte e me deixou em pedaços. Com ajuda de muita gente, consegui aos poucos juntar os pedaços e, ao me ver montada de novo, tive muita dificuldade de me encaixar nesse novo eu.

Na busca por me reencontrar, percebi que precisava me reinventar para caber nessa nova forma. A corrida, antes impensada, entrou nesse processo de reinvenção e reencontro.

No dia 1º de maio de 2014, coloquei os pés numa pista de corrida para nunca mais sair.

Sair da inércia requer muita energia. Para iniciar qualquer movimento é preciso mais que apenas vontade. Ajuda muito ter uma meta e traçar um plano. Depois disso, foco e determinação levarão ao resultado.

Antes de colocar os pés numa pista pela primeira vez, me inscrevi numa prova. Um duathlon - 6 km de corrida + 17km de bike, prova oficial da FTERJ, no dia 18/05/2014. Chegar na Praia de Botafogo às 6:30 da manhã foi algo inédito para uma dorminhoca convicta e a energia daquele lugar foi o segundo passo para o processo de transformação que estava se iniciando. Tive a certeza de que viveria aquela sensação novamente. Que astral!

Foi duro, foi intenso. Em alguns momentos cheguei a pensar que não conseguiria... Mauricio e as crianças me esperavam na linha de chegada. E foi por eles que fui até o fim. Nos últimos quilômetros de corrida, um batedor (motoqueiro que faz a segurança dos participantes das provas) chegou perto de mim e perguntou se estava bem. Imaginem como não deveria estar a minha cara :D. Disse que era a última, que ficaria por perto, não tanto, para não me atrapalhar, que faltava pouco, que podia ir com calma, que tivesse força, que chegaria bem. Foram as palavras mais confortantes que poderia ouvir naquele momento. Respirei fundo e continuei. Cruzar a linha de chegada com as crianças foi das maiores emoções que já vivi.

Completei a prova! Esse era meu único objetivo naquele momento e consegui! Com batedor, buzinas e torcida, que se animou ao ver a moto ao meu lado na aproximação da última colocada à linha de chegada. Que sensação maravilhosa a da vitória!

A partir daí, foram 5 km, 10 km (2014), 15 km, 10 milhas, 21 km (2015), colecionando medalhas, acumulando quilômetros. Filhos e marido embarcam na paixão junto comigo. Um grupo de novas amigas dá o empurrão que faltava (#mãescorredoras <3). E a paixão vira amor.

E aos 41 anos, depois de viver tudo isso, pensando em qual seria o próximo desafio, Daniela Redondo, amiga com a mesma idade e corredora como eu, tem um insight: 42 anos combina com que? Com 42 km!! E embarcamos de cabeça nesse sonho que sonhamos juntas!

Mas nem tudo são flores nessa vida e nossa capacidade de controle, em algumas situações, é menor do que gostaríamos. E Dani tem que postergar o sonho – esse capítulo deixo para que vocês leiam no relato dela (https://sway.com/g5IpzBU089A6lYrj). Mas eu segui, por mim e por ela, até o fim!

E essa história está longe de ter fim! Qual será o próximo desafio?”

A história completa e mais detalhes de como foi a descoberta da corrida para a Adriana podem ser lidas aqui: https://sway.com/UMj3B4mbavt7Wbea

Também quer contar a sua história? Deixe seu e-mail nos comentários e entraremos em contato com você!

Até a próxima! ;)

Modalidades

© 2023 por Fazendo Barulho. Orgulhosamente criado com Wix.com

  • Facebook Clean Grey
  • Instagram Clean Grey
  • Twitter Clean Grey
  • YouTube Clean Grey